Estudantes do CIEP de Americana criam galeria de arte nos corredores

Um corredor do Centro de Atendimento Integral à Criança (Caic), do bairro Jardim da Paz, em Americana, foi transformado em uma galeria de arte com 55 quadros de um pintor que viveu no Brasil por alguns anos século no XIX: Jean-Baptiste Debret.

A ideia da galeria de arte nasceu a partir das discussões do professor de história da escola, Juscelino Lino, com os alunos dos oitavos anos (13 e 14 anos de idade) sobre escravidão no Brasil Colônia, em que foi citada a importância da obra de Debret para contextualizar a época. 

Como os alunos ficaram curiosos com o pintor, o professor resolveu separá-los por grupos e iniciar um levantamento histórico. “Pesquisaram a história de Debret e sua obra. Depois compartilharam o conteúdo sobre a escravidão no Rio de Janeiro, no Brasil Colônia”, disse Lino. Segundo o professor o material ficou muito rico e, desta maneira, veio o desejo de montar o projeto, “História do Brasil colonial sob as mãos de Debret”. 

Durante dois meses, 120 alunos estudaram, discutiram e abordaram a escravidão no Brasil a partir das perspectivas das obras de Debret. Foram levantados dezenas de quadros do pintor. “Estava tão bonito o trabalho que dei a ideia da instalação de uma galeria de arte na escola. Eles se envolveram, adoraram a proposta e começamos a montar o cenário”, disse o professor. 

O professor tirou cópia dos quadros na internet com a ajuda dos alunos. Foram coladas molduras nas obras e os alunos iniciaram a montagem da galeria. “Foi tudo feito com muito cuidado pelos alunos. Eu apenas coordenei. Fizeram a iluminação incidental com luzes vermelhas e azuis na galeria, cobriram a passagem com um tapete, e nas laterais das paredes, colocaram os quadros”, revelou. Por baixo do tapete os alunos colocaram milho, feijão e pedrinhas. Na entrada da galeria do aluno tinha que tirar o sapato. Desta forma quando ele passasse descalço pelo tapete perceberia a sensação de quando os escravos andavam pelo Rio de Janeiro. 

Quanto tudo ficou pronto, os alunos do Caic foram convidados para ver a exposição. A abertura da mostra aconteceu na sexta-feira (10/5). Na sala ao lado da galeria dois alunos, vestidos com trajes típicos da época do Brasil Colônia, recebiam os colegas e explicavam o que era o projeto. A escola tem aproximadamente 400 alunos. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *