Membros da ‘CPI do DAE’ saem da sessão sem justificar, enquanto ela era votada em plenário

Em sessão altamente tensa com troca de farpas entre quase todos os vereadores, foi discutido à pouco um recurso apresentado pelo Vereador Kim, com assinatura de demais parlamentares, solicitando a anulação da primeira reunião da CEI, sob denuncias de irregularidades, palanque político e até analogia à tentativas de manchar o nome do DAE para privatizar.

O recurso foi aprovado por 9×3.

Além destas, houveram várias outras acusações; Thiago Martins chamou Padre Sergio de incoerente, Odir chamou outros de incompetente, Gualter e Sergio deixou a entender certa incompetência do jurídico da casa, Gualtar também mandou o Presidente botar ordem na discussão, Ondas mandou Rafael ler o regimento, Rafael disse que leu três vezes o mesmo item, Peol se irritou quando foi acusado por Rafael de votar por 5, e avisou que acionará a comissão de ética na próxima ocasião, Juninho Dias se irritou quando Rafael disse que estava com a palavra, Juninho afirmou que nem havia solicitado para falar e questionou se Macris tinha bola de cristal. Tudo isso em 45 minutos de discussão. Bom já deu para entender como será daqui pra frente por ali.

O recurso em discussão, na prática suspende a primeira reunião, mantém as outras 7 e uma emenda apresentada por Pedro Peol, estende o prazo de investigação que era de 2015 a 2019 para 2009 a 2019.
O relator da comissão deverá ser escolhido novamente e os candidatos são Gualter e Renato Martins.

Encerrada a discussão, quando o item entrou em votação Juninho pediu chamada nominal e foi constatado a ausência de Maria Giovana, Rafael Macris e Odir Demarchi. Peol pediu explicação formal para a saída dos Vereadores sem avisar.

Bom, se é assim diante os microfones, imaginem nas ruas, ou nas noites de campanha? Salve-se quem puder.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *