spot_img

Últimas Notícias

Variante Delta preocupa, mas prefeitos apontam que não há necessidade de novas restrições

- Advertisement -

A variante Delta na RMC não chega nem a 1,5%; a predominância na região, por enquanto, é da P1, de Manaus

Depois da abertura geral do comércio, sem limite de capacidade e de horários, os prefeitos da RMC (Região Metropolitana de Campinas) não pretendem adotar novas restrições. Mesmo porque a vacinação avança em todas as cidades. Mas os municípios estão de prontidão, porque a variante Delta, que surgiu primeiro na Índia, já é predominante em alguns Estados. Essa variante é mais contagiosa, entretanto ainda não há estudos se é mais mortal.

As informações são do prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis (MDB), presidente do CD (Conselho de Desenvolvimento) da RMC (Região Metropolitana de Campinas). Segundo Reis, o Instituto Adolfo Lutz apontou que 95% dos contaminados na região são pela P1, 3,65% da Ay3 e 1,46% da Delta. Apenas uma pessoa na RMC contraiu a variante Delta. “Não justifica tomar medidas mais restritivas”, apontou, na reunião da RMC, em Americana, terça-feira (17). “Na nossa região estamos tranquilos com essa variante Delta que é muito contagiosa”, completou.

- Advertisement -

O prefeito de Santa Bárbara d´Oeste, Rafael Piovezan (PV) ponderou que a amostragem feita é muito pequena. “A situação hoje de não identificarmos a variante Delta circulando na nossa região metropolitana é pela amostragem pequena que é feita pelo instituto Adolfo Lutz”, explicou. Piovezan afirmou que a Delta por ser predominante, como ocorreu em outros estados ou países, à medida que houver uma competição entre as variantes e uma substituição da P1 pela Delta, como está acontecendo no mundo e no Estado do Rio de Janeiro. “O que nós temos de vantagem é que no Estado de são Paulo está avançando muito a questão da vacinação, isso é uma barreira para circulação viral”, explicou Piovezan.

Apesar da redução da ocupação dos leitos hospitalares, Piovezan informou que pretende manter o hospital de campanha e a estrutura de enfrentamento ao novo coronavírus. “Nós não vamos desmobilizar aquilo que nós temos de estrutura para atendimento até que se tenha situação mais segura dos índices, sendo eles de ocupação de leitos, seja do tipo de variante que está circulando e da situação epidemiológica como um todo na região. Então a gente vai manter esse acompanhamento”, disse o prefeito barbarense.

- Advertisement -

Latest Posts

spot_img

Não Perca

Fique Sempre INFORMADO!

Receba em seu email as últimas notícias de americana e região!

WhatsApp chat