Beto Silva

STF condena mais 14 por participação nos atos de 8/1, americanense está entre réus

Julgamento ocorreu no dia 22 de março e será concluído em 3 de abril.

O STF (Supremo Tribunal Federal) condenou mais 14 pessoas envolvidas nos atos antidemocráticos de 8 de janeiro, pela prática dos crimes de associação criminosa armada, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, tentativa de golpe de Estado, dano qualificado e deterioração de patrimônio tombado. Entre os condenados está a inspetora de alunos Maria Aparecida Medule, moradora de Americana.  

O julgamento foi realizado na sessão virtual concluída no dia 22 (sexta-feira), e as penas foram fixadas em 14 anos de prisão, para nove pessoas, em 17 anos de prisão para três, em 13 anos e seis meses para um réu e em 14 anos e dois meses para outro. O ministro Alexandre de Moraes, que também é relator do processo, votou pela condenação de Maria Aparecida a 14 anos, sendo 12 anos e seis meses em regime fechado. O julgamento da ré será concluído em 3 de abril. O JA não conseguiu contato com a defesa de Maria Aparecida.

Até o momento, as acusações apresentadas pela PGR (Procuradoria Geral da República) resultaram em 159 condenações.

Intenção de derrubar governo

A maioria do plenário acompanhou o voto do relator no sentido de que, ao pedir intervenção militar, o grupo do qual os réus faziam parte tinha intenção de derrubar o governo democraticamente eleito em 2022. Ele observou que, conforme argumentado pela PGR, trata-se de um crime de autoria coletiva (execução multitudinária) em que, a partir de uma ação conjunta, todos contribuíram para o resultado.

Defesas

As defesas alegaram, entre outros pontos, que as condutas dos réus não foram individualizadas, que os atos não teriam eficácia para concretizar o crime de golpe de Estado, que eles pretendiam participar de um ato pacífico e que não teria havido o contexto de crimes de autoria coletiva. 

Provas explícitas

O relator constatou que, entre as muitas provas apresentadas pela PGR, algumas são explícitas, produzidas pelos próprios envolvidos, como mensagens, fotos e vídeos publicados nas redes sociais. Há também registros internos de câmeras do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e do STF e provas com base em vestígios de DNA encontrados nesses locais, além de depoimentos de testemunhas. Esse entendimento foi seguido pela maioria do colegiado.

Indenização

A condenação também abrange o pagamento de indenização, a título de danos morais coletivos, no valor mínimo de R$30 milhões. Esse valor será quitado de forma solidária por todos os condenados, independentemente do tamanho da pena.

COmpartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
Mais lidas

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

Cidades

22 abr 2024

Os mais de cinco mil candidatos inscritos no concurso público aberto pela Câmara Municipal de Americana para o preenchimento de

Cidades

22 abr 2024

A família de Danillo de Freitas, um programador de torno de 40 anos, está lançando uma campanha para doação de

Cidades

22 abr 2024

O CCL (Centro de Cultura e Lazer) recebeu um público rotativo de 18 mil pessoas ao longo deste final de

Cidades

21 abr 2024

A parceria para realização das atividades da Associação Anjos da Alegria no Hospital Municipal Dr. Waldemar, em Americana, foi reforçada

Cidades

21 abr 2024

A 2ª edição da Rota Cervejeira de Americana levou um público rotativo de cerca de oito mil pessoas ao CCL

Cidades

20 abr 2024

O prefeito de Americana, Chico Sardelli (PL), acompanhado do vice-prefeito Odir Demarchi, entregou neste sábado (20) a revitalização da Praça