Beto Silva

Em 8 anos, Brasil registra mais de 10,5 mil feminicídios

Feminicídio é uma qualificação do crime de homicídio doloso, quando há a intenção de matar. É o assassinato decorrente de violência contra a mulher, em razão da condição do sexo ou quando demonstrado desprezo pela condição de mulher. A lei que instituiu o dispositivo foi sancionada em março de 2015.

De 2015 até 2023, foram vítimas de feminicídio no Brasil 10,6 mil mulheres, segundo levantamento do FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública). No ano passado, foram mortas 1,4 mil mulheres, de acordo com a pesquisa.

O feminicídio é uma qualificação do crime de homicídio doloso, quando há a intenção de matar. É o assassinato decorrente de violência contra a mulher, em razão da condição do sexo ou quando demonstrado desprezo pela condição de mulher. A lei que instituiu o dispositivo foi sancionada em março de 2015.

No ano passado, foram 1,46 mil vítimas desse tipo de crime no Brasil, o que representa uma taxa de 1,4 mortes para cada grupo de 100 mil mulheres. O número apresenta um crescimento de 1,6% em relação a 2022.

Mato Grosso registrou a maior taxa de feminicídios, com 2,5 mortes para cada grupo de 100 mil mulheres. Em números absolutos, foram 46 feminicídios no ano passado. São Paulo tem o maior número absoluto de feminicídios, com 221 casos em 2023. A taxa do estado, entretanto, é menor do que a média nacional, com uma morte para cada grupo de 100 mil mulheres. Em comparação com 2022, foi registrado alta de 13,3% no número de feminicídios no estado.

O maior índice de crescimento de feminicídio foi registrado em Roraima, que passou de três para seis em 2023. A taxa no ano passado ficou em 1,9 mulheres para cada 100 mil.

No Distrito Federal, houve crescimento de 78,9% dos feminicídios de 2022 para 2023, chegando a 34 casos no ano passado. Com a alta, a taxa chegou a 2,3 mortes para cada 100 mil mulheres.

Em segundo lugar nas mais altas taxas de feminicídios estão os estados do Acre, Rondônia e Tocantins, com 2,4 mortes para cada 100 mil mulheres.

No Acre, houve crescimento de 11,1% de um ano para o outro, registrando dez feminicídios no ano passado. Em Rondônia houve queda de 20,8% nesse tipo de crime, com 19 casos em 2023. Enquanto Tocantins teve um aumento de 28,6%, com 18 mortes no ano passado.

Agência Brasil

COmpartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
Mais lidas

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

Cidades

15 abr 2024

A Vigilância Epidemiológica de Americana recebeu nesta segunda-feira (15) a confirmação de um óbito no município causado pela dengue. Trata-se

Cidades

15 abr 2024

A Suzano está com vagas abertas para os seus programas de Estágio Superior e Técnico 2024.1, intitulados ‘’Raízes do Futuro’’

Cidades

15 abr 2024

Na quinta-feira (11) a Guarda Civil de Santa Bárbara d’Oeste marcou presença de forma emocionante na 99ª edição do Desafio

Cidades

15 abr 2024

O prefeito de Americana, Chico Sardelli (PL), recebeu representantes da Receita Federal em seu gabinete, na sexta-feira (12), para assinatura

Cidades

14 abr 2024

Os moradores de Americana devem se preparar para uma semana de mudanças no clima. Segundo a previsão do tempo, os

Cidades

13 abr 2024

O “FÉstival – um dia da celebração da fé e da família” divulgou sua programação completa de shows. Nos palcos