Pesquisar
Close this search box.

Redação Jornal Americanense

Estudantes da Unicamp homenageiam corpos negros usados em estudos

Professora diz que ação traz ao debate papel do negro na universidade

A 59ª turma de medicina da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e o Coletivo Quilombo Ubuntu homenageiam, nesta sexta-feira (08), no Teatro de Arena da instituição, cadáveres negros usados para estudos no Laboratório de Anatomia.

Iniciativa dos estudantes negros da turma, a homenagem é apoiada pela Diretoria Executiva de Direitos Humanos (DeDH) da instituição e pelo Centro Acadêmico Adolfo Lutz, que reúne estudantes de medicina. No evento, será inaugurada uma placa, que deverá posteriormente ser afixada no Laboratório de Anatomia do Instituto de Biologia (IB). 

A diretora executiva de Direitos Humanos da Unicamp, professora Silvia Maria Santiago, afirmou que a ação traz à discussão o papel do negro na universidade. “Negro é aquele que constrói as paredes ou que depois limpa os espaços, ou aquele que está na mesa fria de uma sala de anatomia? Ou o lugar do negro pode ser o lugar do estudante, o lugar do pesquisador, o lugar do docente, o lugar do técnico especializado?”, questionou.

“Nós estamos reverenciando esse anônimo cadáver da anatomia patológica, o negro, mas apontando para a frente, que é a defesa de que o negro possa ocupar um lugar de destaque dentro das universidades”, disse. Os cadáveres usados no laboratório da instituição são, em sua maioria, de pessoas negras. Em geral, segundo Silvia, os corpos destinados a estudos correspondem a pessoas consideradas indigentes.

A professora contou que essa turma de medicina despertou para a questão dos cadáveres negros do laboratório no ano passado, primeiro ano na universidade, durante aula sobre ética médica, em que Silvia falou sobre racismo na universidade e na sociedade. “Foi chocante para o estudante negro, quando começou os seus estudos na anatomia, perceber que a maior parte dos cadáveres era de negros, então eles questionaram por que a maioria tem que ser de corpos negros.”

Neste ano, surgiu a proposta da homenagem, iniciativa dos estudantes negros da turma, que contou com o apoio dos colegas, professores e da universidade. Estão previstas ainda para o evento apresentações musicais de Fabiana Cozza, cantora e doutoranda pelo Instituto de Artes (IA); Ilessi, cantora, compositora e doutoranda pelo IA; Douglas Alonso, percussionista e professor, e Marília Corrêa, cantora e compositora.

Com informações da Agência Brasil.

COmpartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
Mais lidas

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

Saúde

22 maio 2024

O número de atendimentos realizados na UBS (Unidade Básica de Saúde) da Praia Azul cresceu 70% com a ampliação do

Saúde

22 maio 2024

O Novo Complexo Regional de Saúde do Jardim Pérola “Elza Aparecida Zanini” de Santa Bárbara d’Oeste registrou 155 atendimentos no

Saúde

21 maio 2024

A Prefeitura de Americana, por meio da Secretaria de Saúde, reforça a disponibilidade da vacina contra a dengue, destinada a

Cidades, Saúde

20 maio 2024

O Painel de Monitoramento da Dengue, da Secretaria de Estado de Saúde, confirmou nesta segunda-feira (20), a segunda morte por

Saúde

17 maio 2024

Um trabalho realizado pela equipe do setor de Vigilância em Saúde do Trabalhador, órgão ligado à Uvisa (Unidade de Vigilância

Saúde

15 maio 2024

A Secretaria de Saúde de Sumaré entregará nesta sexta-feira (17) às 10 horas, o novo prédio do PA Maria Antônia,