Beto Silva

MP pede fim do despejo de aguapés do Salto Grande no Rio Piracicaba

Gaema ingressou com ação civil contra Cetesb e CPFL energias Renováveis.

O Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente) do Ministério Público do Estado de São Paulo ajuizou uma ação civil pública ambiental com pedido de liminar contra a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e a CPFL Energias Renováveis pedindo a imediata interrupção da operação de vertimento dos aguapés do reservatório de Salto Grande, em Americana, para o Rio Piracicaba, que se encontra em execução há menos de um mês, bem como proibindo novos vertimentos das plantas aquáticas. 

Conforme sustentado pelos promotores Ivan Carneiro Castanheiro e Alexandra Faccioli Martins na ação, a operação de vertimento dos aguapés, que possibilita o lançamento de até 60 hectares dessas plantas no Rio Piracicaba, em curto período de tempo, poderá acarretar impactos ambientais, sociais, paisagísticos, turísticos (Rua do Porto em Piracicaba) e econômicos, desde o reservatório de Salto Grande até a UHE de Barra Bonita (região Tanquã).

De acordo com a ação, a Cetesb, apesar de duas recomendações administrativas encaminhadas pelo Ministério Público para que isso não ocorresse, autorizou a CPFL a realizar o vertimento das plantas, o que, segundo os promotores,  vem, causando transtornos e ampla repercussão regional pela grande quantidade de aguapés em todo o trecho, desde o reservatório em Americana.

“O cenário de degradação da qualidade da água e as constantes oscilações de vazão do Rio Piracicaba, segundo entende o Ministério Público, são preocupantes, à medida que colocam em risco a segurança hídrica dessa região, não sendo aceitável, portanto, que essa situação possa ser agravada pelo referido vertimento, de forma experimental ou permanente, sendo imprescindível a definição de um Plano de Manejo e controle das macrófitas no próprio reservatório de Salto Grande, como já vem ocorrendo, com a retirada mecânica, sem a dispersão de tais plantas flutuantes no ambiente”, traz um trecho da ação do Gaema. 

São tratadas na ação, as providências a serem adotadas pela CPFL e CETESB, para a melhoria do monitoramento, prevenção e controle da proliferação de algas e das cianobactérias no reservatório de Salto Grande e na calha do Rio Piracicaba.  “Vale lembrar que, no início de 2024, foi observada a coloração esverdeada nas águas dos referidos mananciais, com a constatação de floração de algas e de cianobactérias, causando preocupação aos municípios de Americana e Piracicaba”, destacaram os representantes do Ministério Público. 

“Também vale lembrar a ocorrência, no início do ano de 2024, da mortandade de mais de duas toneladas de peixes, em pleno período de piracema, demandando a adoção de medidas por parte dos órgãos competentes para a melhoria da gestão dos recursos hídricos, com a redução das fontes de poluição e maior atenção para a garantia da manutenção da qualidade da água, segurança no abastecimento público e preservação dos ecossistemas aquáticos”, acrescentaram.  

“O Ministério Público, por meio da ação civil pública, visa  a obtenção de provimento jurisdicional que determine às rés, desde logo, a regularização do licenciamento ambiental da PCH-Americana e Reservatório de Salto Grande, com a observância dos procedimentos e exigências legais, uma vez que o empreendimento, implantado desde 1949, não conta com a licença ambiental a ser emitida pela Cetesb”, traz a ação. 

A reportagem não conseguiu contato com a CPFL Energias Renováveis e a Cetesb para comentar a ação civil.

COmpartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
Mais lidas

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

Cidades

19 abr 2024

Santa Bárbara está prestes a ganhar um novo centro comercial e gastronômico que promete encantar moradores e visitantes. Nas próximas

Cidades

18 abr 2024

O mistério que envolvia o Americana Mall finalmente chegou ao fim. Depois de muita expectativa, o shopping de Americana tem

Cidades

18 abr 2024

O prefeito Chico Sardelli anunciou nesta quinta-feira (18) a revitalização de mais 10 praças em Americana. Com recursos próprios da

Cidades

18 abr 2024

Maristela Bellini Furlan Vilela, moradora de 44 anos do bairro Residencial Furlan, está desaparecida desde terça (16). Segundo relatos, a

Cidades

17 abr 2024

A rede municipal de ensino de Sumaré passou por uma uma modernização desde 2017, a fim de ofertar um ensino

Cidades

17 abr 2024

Ofertando mais opções de compras e lazer, além de incentivar o trabalhador local, a Prefeitura de Sumaré implantou as feiras