Últimas Notícias

Dr. Daniel e esposa, Dra. Adriana, podem ser demitidos, aponta sindicância

- Advertisement -

Conclusão sugere a demissão dos médicos Daniel Cardoso e esposa, Adriana Cardoso, dos cargos concursados que ocupam em hospital

A Administração Pública, da Prefeitura Municipal de Americana, concluiu esta semana sindicância que apurava os fatos ocorridos no início de janeiro no Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi”, envolvendo o vereador e Dr. Daniel Cardoso (PDT), a esposa Dra. Adriana Cardoso, ambos funcionários concursados, e Douglas Ferreira, presidente da Fundação de Saúde de Americana (Fusame). Segundo consta nos autos, a conclusão sugere a demissão dos médicos.

Além de ouvir as partes, a sindicância juntou e analisou demais dados, documentos e vídeos do ocorrido. Entre os arquivos estão boletins de ocorrência lavrados na ocasião, bem como laudo médico de Ferreira, onde consta lesões corporais leves.

- Advertisement -

O relatório de conclusão da sindicância, assinado pelo secretário municipal de Administração Fábio Beretta Rossi, afirma que os materiais recolhidos demonstram de “maneira clara e inequívoca” o ocorrido. O documento cita que é possível ver “a agressão física proferida pela Dra. Adriana contra o Sr. Douglas e as ameaças e agressão verbal e física preferidas pelo Dr. Daniel”.

O parecer afirma ainda que os médicos “infringiram deveres” do Estatuto dos Servidores Públicos Municipais de Americana, nos quesitos de: ordem, conduta compatível com o ambiente de trabalho, bem como no cumprimento de ordens superiores.

Artigo de nº 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) que dispõe sobre motivos para de justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador, também foi citado. Os incisos em que os médicos podem ser enquadrados são: ato de indisciplina ou insubordinação; ato lesivo da honra; e ofensas físicas contra o empregador e/ou superiores hierárquicos.

Por estas razões, a sindicância sugere que ambos sejam demitidos do cargo concursado que ocupam. O documento ainda não é um parecer definitivo e conclusivo, cabendo recursos das partes.

Reunião do Conselho Diretor da Fusame

Antes da conclusão da sindicância, o assunto também foi tema de reunião do Conselho Diretor da Fusame do dia 21 de março, conforme publicado na edição de nº 964 do Diário Oficial do Município de Americana.

Foto: Diário Oficial – Reprodução

Participaram da reunião os integrantes do Conselho Diretor, sendo eles: Douglas Henrique Magalhães Ferreira (Presidente), Fábio Correia Bartolomeu Joner (Vice-presidente), Lilian Franco de Godoi dos Santos (Diretora Superintendente), Danilo Carvalho Oliveira (Secretário Municipal de Saúde), Diego de Barros Guidolin (Secretário Municipal de Planejamento da Prefeitura Municipal de Americana) e Renato Monteiro (Representante da Associação Médica de Americana).

Dr. Daniel e Dra. Adriana

A redação do JA entrou em contato com o vereador e médico Dr. Daniel e esposa, Dra. Adriana, que se pronunciaram sobre o fato.

Em nota, Dra. Adriana afirmou que: “a sindicância que julgou os atos ocorridos no hospital agiu parcial em prol do Executivo para [sic] denigrir nossa imagem e acabar com nossa carreira profissional em Americana com intuito de prejudicar Dr. Daniel Vereador e Dra. Adriana Médica, pois está ocorrendo uma perseguição política e quem foi até o hospital fora do horário no meu trabalho nos assediar foram os gestores Comissionados do Prefeito e estes não foram afastados e nem punidos, todos os membros da Sindicância que agiram parcialmente eu irei entrar com processo”.

Também em nota, Dr. Daniel encaminhou a mesma mensagem que a esposa com o complemento: “Acrescento: jamais agredi alguém. Tudo isso é mentira, eu é que fui agredido”, afirma.

Prefeitura Municipal

Procurada, a assessoria de imprensa se pronunciou através de nota oficial. Disse: “A Prefeitura de Americana não vai se manifestar sobre documentos ou procedimentos internos até que haja o trânsito em julgado administrativo”.

Relembre o caso

Acusações, supostas agressões e confusão permearam os bastidores do Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi” no início deste ano. A ação culminou na instauração de sindicância municipal para apurar os fatos.

Segundo relatado pelo JA em detalhes, a confusão teria ocorrido devido a visita do vereador Vagner Malheiros (PSDB) ao hospital para vistoriar uma ala específica, a qual teria sido autorizada pela diretoria. Contudo, na ocasião, o parlamentar, acompanhado da Dra. Adriana Cardoso, teria entrado em outra ala, sem a devida autorização.

As ações foram questionadas pelo presidente da Fusame, Douglas Ferreira, que também estava no hospital. O embate verbal teria causado graves acusações e supostas agressões entre as partes. Além dos já citados, estavam presentes: o vereador e médico Dr. Daniel Cardoso, acionado pela esposa; Fabio Joner, advogado responsável pelo hospital, acionado por Douglas Ferreira; bem como integrantes da Guarda Municipal de Americana (GAMA), que foram chamados por funcionários da unidade de saúde.

Na ocasião, as partes prestaram depoimentos à polícia, sendo lavrado boletim de ocorrência.

- Advertisement -

Latest Posts

spot_img

Mais Lidas