Redação Jornal Americanense

Jussania Oliveira: Como o cansaço afeta a sexualidade?

Certamente você viveu ou vive períodos em sua vida de muito cansaço.

Cansaço pelo trabalho, pelas preocupações do dia-a-dia, pelo stress da rotina pesada, por problemas emocionais ou físicos, por problemas familiares, enfim… viver é um eterno enfrentamento e resolução de problemas.

Mas e o relacionamento? Como o cansaço interfere em sua sexualidade, em seu desejo, em sua vontade de namorar?

Não estou aqui falando de início de relacionamento ou no jogo de conquista para ficar com alguém. Nesta situação, em geral, o mundo pode estar acabando que você terá disposição, vontade e motivação para a atividade sexual.

É interessante que a visão que se tem do sexo no início de um relacionamento é realização, prazer, alegria, satisfação…

O que acontece para mudar tão drasticamente esta maneira de interpretar e se comportar sexualmente?

É sabido que em relacionamentos de média, longa duração há o desgaste natural, os problemas individuais e do casal, as situações mal resolvidas, a qualidade ruim ou frustrante da atividade sexual deste casal, enfim, aquilo que é altamente motivador e excitante no início de um relacionamento, parece desaparecer com o tempo.

E é claro que o cansaço é uma grande justificativa. Mas não somente prejudica sua vida sexual. Prejudica também o seu emocional (alterações de humor, irritabilidade, insônia…), o seu profissional (menos disposição, tolerância, motivação…), o seu comportamento (falta de energia para qualquer atividade física, indisposição para programas sociais…).

O cansaço pode ser um grande vilão em sua vida, de um modo geral.

Então por que não descansamos, tiramos alguns dias de folga ou férias?

E aí temos uma grande questão cultural: aprendemos ao longo da vida que “O trabalho enobrece o homem”, que o sujeito admirável é aquele que se mata de trabalhar, o que não tem tempo pra nada, o que coloca o trabalho acima de tudo, que tempo é dinheiro, que precisa juntar uma boa quantia para sua aposentadoria…

Enfim, as pessoas “aprenderam” que não podem se permitir descansar. Que isto é sinônimo de “vagabundo”, folgado, irresponsável.

Eu atendo pessoas que trabalham 14, 16 horas por dia e ainda se sentem em débito.

Débito? Jesus Cristinho! Débito com o que? Com quem?

Se você não aprender a dar pausas, descansar para se recuperar, renovar suas forças e energia, você poderá desenvolver algumas doenças físicas e mentais que irão abreviar sua vida…

Se você não se permitir viver alguns momentos de lazer e prazer, você pode ter sérios problemas em seu relacionamento, pode perder alguns momentos lindos na convivência com seus filhos…

Se não aceitar que o descanso é seu direito e necessário, você pode se transformar numa pessoa intransigente, triste, explosiva, difícil de lidar…
Uma pessoa que entende a importância do descanso e faz isso com regularidade, certamente é uma pessoa mais leve, mais feliz e sexualmente mais ativa e satisfeita.

Que tal refletir sobre isso?

Quando foi a última vez que tirou alguns dias de folga para ficar com quem ama, usufruir da cia das pessoas que são importantes em sua vida ou mesmo para cuidar de si?

COmpartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp
Mais lidas

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

Saúde e Bem Estar

31 dez 2022

Psicanalista chama atenção para pesquisa e alerta que a carga de ansiedade e estresse nessa época do ano é maior

Saúde e Bem Estar

3 maio 2022

Além da nebulização, os funcionários da empresa e os agentes de controle de vetor do PMCD estão realizando visitas domiciliares,

Saúde e Bem Estar

29 abr 2022

O antigo pronto-socorro foi revitalizado, recebeu nova pintura e passa a ser um espaço de atendimento para as crianças A

Saúde e Bem Estar

28 abr 2022

A vacina de gripe será oferecida para a população com 60 anos ou mais e profissionais de saúde e será

Saúde e Bem Estar

27 abr 2022

Atualmente, além da função de evitar a gravidez, os métodos contraceptivos hormonais combinados têm sido utilizados devido a presença de

Saúde e Bem Estar

13 abr 2022

Para falar deste assunto precisamos falar do ácido hialurônico, que é a substância que demonstrou ter maior compatibilidade com a